4 dicas para o arquiteto projetista escolher boas marcas para os seus projetos

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

arquiteto projetista

A função do arquiteto projetista não se resume a criar o projeto da piscina. Sem dúvida, essa é a sua função principal. Mas é preciso contextualizar com as empresas fornecedoras e identificar os materiais com as melhores marcas. Essa ação certamente é de muita importância para o cliente, pois facilita o seu trabalho. Claro que, com um projeto mais completo, as chances de fidelização aumentam.

Como já está trabalhando no ramo, é muito mais fácil para o arquiteto orientar sobre quais são os melhores fornecedores, quais as melhores marcas e modelos de equipamentos e produtos em geral. Veja 4 dicas para o projetista escolher boas marcas em seu trabalho!

1. Avalie a reputação do fornecedor para arquiteto projetista

Fique alerta à reputação da empresa no mercado e, principalmente, considere a opinião dos consumidores. O nível de satisfação deles significa muito para qualificar a empresa. Consumidor satisfeito é sinal de bom atendimento, de bons materiais, de bom trabalho.

O posicionamento da empresa dentro do segmento em que atua é importante. Se ela não é uma empresa de referência, isso pode ser um indício de que não vale a pena recorrer aos seus serviços.

Uma empresa que está há muito tempo no mercado geralmente é uma boa opção, considerando que sua experiência e permanência representam qualidade, seriedade, compromisso com o público e com a atividade que exerce.

De qualquer modo, empresas pouco conhecidas podem oferecer bons serviços e bons produtos. Às vezes, ainda não se tornaram suficientemente conhecidas. Por isso, também é conveniente considerar a segunda dica.

2. Analise o portfólio ou o site da empresa

O arquiteto projetista deve analisar o portfólio ou o site da empresa e conferir quais são os produtos e serviços que ela disponibiliza.

É uma maneira eficaz de conferir as marcas, ler as especificações técnicas e ficar ciente das vantagens e limitações dos materiais.

Naturalmente, nenhuma empresa vai denegrir os equipamentos que comercializa. Ela procura realçar suas qualidades. Mas, sendo honesta no mercado, não discorre sobre vantagens que eles não têm. Além disso, o profissional certamente tem conhecimentos para compreender o que é bom e o que não é, o que serve para aquele projeto específico e o que não convém.

arquiteto projetista

3. Defina as características de uma boa marca

É importante que o arquiteto projetista defina o que efetivamente ele considera uma marca boa.

Um bom equipamento (como aquecedor, filtro, bomba ou aspirador) e bons produtos (como escadas, cascatas e LEDs para o projeto de iluminação) devem exibir durabilidade e eficiência. O custo-benefício deve compensar.

E o que é custo-benefício? A relação entre o preço e o valor efetivo do equipamento ou de outro produto. Se ele é durável e cumpre a sua funcionalidade com eficiência, o custo-benefício vale a pena.

A empresa pode vender, inclusive, piscinas de fibra ou vinil e equipamentos para saunas, que representam aquisições valiosas para o cliente e são básicas para o projeto.

4. Faça uma parceria com uma empresa confiável

Outra maneira de o profissional escolher boas marcas é trabalhar com uma boa empresa, que, além de fornecer produtos, presta serviços, realizando projetos para os seus clientes.

Se o arquiteto projetista efetua trabalhos para uma boa empresa, não precisa se preocupar em encontrar bons fornecedores, já que poderá recomendar e usar os produtos da própria empresa.

Existem boas organizações que fabricam e comercializam produtos além de oferecerem serviços, ampliando as oportunidades para os profissionais e para os clientes.

Seguindo essas 4 dicas, o arquiteto projetista estará apto para escolher e sugerir marcas de boa qualidade para os seus clientes!

Agora aproveite e curta a página da Sodramar no Facebook!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×